Horário de Atendimento

Untitled 1

Quarta-Feira - 20:30h até 22:00h

 

Calendário de Eventos

August 2017
Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
01
02
03
04
05
06
07
08
09
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

História

O Pilar da Bretanha


A Freguesia do Pilar da Bretanha é a mais pequena freguesia do concelho de Ponta Delgada, com cerca de 760 habitantes (Censos 2011), uma área geográfica de 6.000 metros quadrados.
Dista 30 quilómetros do centro de Ponta Delgada e partilha vizinhança com as freguesias de Ajuda da Bretanha, Sete Cidades e Mosteiros.
A existência desta freguesia tem despertado através dos tempos uma natural curiosidade, não só da parte dos micaelenses, mas sobretudo por parte dos numerosos estrangeiros que a visitam e manifestam interesses na sua origem.
Teve origem na extinta freguesia da Bretanha, uma das zonas mais antigas e mais homogéneas devido ao seu povoamento. A sua ocupação, na maioria por povos provenientes da grã-bretanha e da bretanha francesa, foi sem dúvida, a marca que perdura até hoje, com uma cultura muita própria que se manifesta em vários aspetos, nomeadamente na dicção.
A 10 de julho de 2002, após reunidas as condições de viabilidade administrativa e financeira, a Assembleia Legislativa Regional dos Açores, através da publicação do DLR n.º 24 A/2002 decretou por extinção a antiga freguesia da Bretanha e a criação da freguesia do Pilar, tornando assim possível a realização do, há muito esperado, sonho que naturalmente se refletia na ambição de mais e melhores infraestruturas, serviços e qualidade de vida.

O Pilar da Bretanha é hoje uma freguesia com um passado muito rico e com tradições muito próprias. As festividades em honra do divino espirito santo e a cultura do inhame é sem dúvida a bandeira desta freguesia.
Existem outros aspetos típicos que caracterizam a freguesia, tais como a arquitetura do património, como por exemplo a arquitetura da atual igreja paroquial de Nossa Senhora do Pilar, construída em 1680 pelo Capitão Sebastião Álvares de Benevides como ermida sufragânea ao lugar dos Mosteiros, ou a arquitetura dos triatos do Espírito Santo que albergam a Bandeira e a Coroa dos impérios, ou a arquitetura dos fontenários onde antigamente as mulheres lavavam as roupas, ou ainda a tradicional arquitetura das casas com a particularidade de manter em anexo um granel típico de apoio à atividade agrícola.
“São pedras que contam histórias, numa terra pequena que deu grandes frutos” (José Andrade – Lançamento do Guia Cultural do Pilar da Bretanha | Fev 2012)
A Freguesia do Pilar da Bretanha conta com filhos ilustres, tais como o jornalista Manuel António de Vasconcelos, fundador do jornal “Açoriano Oriental”, há poucos anos homenageado com a atribuição do seu nome à antiga escola primária do Pilar; O médico Manuel Caetano Pereira, que foi cônsul honorário de Portugal nos Estados Unidos da América em 1931; o Padre Octávio Reis, o primeiro sacerdote nascido na freguesia, que teve um papel fundamental na investigação da história local. Esta freguesia foi ainda berço de grandes cantadores populares que através das suas músicas e quadras de improviso relatavam as vivências da nossa terra, deles salientamos Manuel Virgílio da Ponte, Gabriel Medeiros, Manuel Sousa Costa.
O Pilar da Bretanha é uma freguesia acolhedora de tradições e costumes únicos que se conservam até hoje e que se pretende transmitir às gerações vindouras.